quinta-feira, 13 de abril de 2017

Porque o Calvinismo Me Faz Chorar?

Rachel Evans


partes extraídas de https://rachelheldevans.com/blog/calvinismmakesmecry ,


e traduzidas por Valdenira N.M.Silva, abril.2017




Posso falar sobre política sem levantar a voz. Posso debater o criacionismo jovem da terra versus a evolução teísta sem derramar uma lágrima. Eu posso ter diferenças de opinião com meus amigos sobre saúde ou aquecimento global ... sem tomar as coisas como [ofensas] pessoais ou guardar rancor. Eu geralmente aceito diferenças na interpretação bíblica com um encolher de ombros.

Mas não consigo falar sobre Calvinismo sem chorar.



Aconteceu de novo na noite de ontem, quando eu estava conversando com minha irmã sobre o calvinismo. Ela não é uma [calvinista] de cinco-pontos, de modo nenhum, mas ela é muito mais simpática (leia - paciente, gentil, compassiva) quanto à Teologia Reformada do que eu [sou].

"Se o calvinismo é verdadeiro, isso significa que Deus cria pessoas descartáveis, pessoas sem qualquer esperança", eu disse, minha voz aumentando firmemente acima do som do jogo da universidade USC contra a Ohio State, na TV.

...

"O calvinismo significa que Deus não só permite, mas ordena soberanamente, toda guerra e todo aborto e todo estupro de uma criança. Significa que Deus não ama o mundo [a humanidade]; Ele o odeia. Se o calvinismo é verdadeiro, isso significa que se aquela menininha morrendo que você segurou em seus braços na Índia não estava entre os eleitos, então Deus não a amava. Ele nunca teve a intenção de amá-la. Ela não era nada para Ele. De fato, Ele se deleitaria e encontraria glória em sua tortura eterna no inferno."

Então eu comecei a chorar- gritando- alto.

...

"E sempre que eu levanto esses pontos com calvinistas, tudo o que eles podem dizer é que eu deveria ser mais grata pela minha própria salvação! É como, "contanto que meu destino eterno esteja seguro, contanto que minha vida esteja planejada e cuidada por Deus, quem se importa com qualquer outra pessoa!" Como você pode ficar em pazcom isso? Como alguém pode estar em paz com isso? Por que é que eu sinto que sou a única pessoa que acha isso moralmente ofensivo? "

Consegui chegar ao final da conversa sem desmoronar completamente, mas assim que entrei no carro para ir para casa, comecei a chorar incontrolavelmente. Eu tive que parar no final da rua por cerca de 10 minutos, porque eu estava tremendo e chorando e minhas lentes de contato estavam ficando todas embaçadas.

Nos últimos quatro ou cinco anos, eu acreditei que tal [minha] resposta refletia pouco mais do que indignação justa. Achei que eu estava tão zangada porque esses calvinistas estavam tão errados. Mas depois que eu [muito] orei e estudei Jesus e conversei com Dan e passei algum tempo sozinha, eu percebi que eu choro, não por convicção de que os calvinistas estão errados, mas por causa do medo profundo e paralisante de que eles poderiam estar certos [ao dizerem que Deus odeia o mundo].

Você vê, eu cresci em uma casa em que o amor de Deus era o fundamento de tudo. Meu pai, tanto em palavra como em ação, [fez tudo que pode para] se assegurar de que meu conceito de Pai celestial fosse aquele que me fizesse sentir amada e valorizada como um tesouro, e minha mãe inculcou em mim um sentimento de compaixão por todas as pessoas, especialmente os necessitados, os quebrantados e os solitário. Embora meu pai tivesse um diploma em teologia, ele sabia que ter todas as respostas certas não era realmente o ponto [importante], então quando eu iria colocar uma questão particularmente pessoal ou desafiadora para ele, ele costumava responder com: "Você sabe de uam coisa, Rachel - Eu não sei, mas sei que Deus te ama." É uma frase que muitas vezes eu repito às pessoas que me enviam e-mails sobre como eles estão lutando com a dúvida. Embora nem sempre eu possa responder a todas as suas perguntas, sei que posso dizer com total confiança: "Não sei, mas sei que Deus te ama".

Que Deus ama todo mundo (e não apenas um [muito pequeno e] seleto grupo de pessoas) sempre foi a constante teológica mais importante na minha vida ... e eu sinto como se o calvinismo, se fosse verdade, tiraria isso de mim. Substituir "porque Deus AMOU o mundo" por "porque Deus ODIOU o mundo" ([substituição] que eu acredito que o calvinismo exige) é tão desorientador para mim, tão negra escuridão, tão assustador e sem esperança, que temo que me levaria ao desespero.

Percebi o quão profundamente esses temores afetaram minha vida na semana em que o pastor reformado John Piper declarou que o tornado que atingiu o centro de Minneapolis (como também o tsunami asiático de 2004, o colapso da ponte de Minneapolis de 2007 e até mesmo o seu próprio câncer) foi um ato de julgamento divino em relação aos pecadores envolvidos.

Na noite em que ouvi a notícia, sonhei que estava numa casa de praia durante um furacão. (Sim, eu sei que isso é um pouco irrealista ... mas também o é voar em aviões em forma de tartarugas e viver entre os índios Sioux como uma professora de álgebra, que também são sonhos recorrentes meus.) Enfim, no meu sonho, estava completamente escuro lá fora, e o vento tinha quebrado todas as janelas da casa, então eu estava exposta a todos os elementos. Água, nuvens em funil, raios e detritos rodopiavam em torno de mim. Eu não conseguia encontrar Dan. De repente, uma calma misteriosa caiu sobre a cena, e eu olhei pelas janelas quebradas para ver uma maciça [onda] [altíssima] como parede de água rugindo [vindo] direta em minha direção. Era negra, como o céu, e enquanto eu olhava para ela, o mais terrível e solitário sentimento de desespero atravessou meu corpo. De alguma forma, eu sabia que ia morrer, e de alguma forma, eu sabia que a onda do tsunami representava Deus.

Eu acordei em pânico. Eu nunca tinha sonhado com Deus assim antes. Enquanto eu vagueava para a cozinha para pegar um copo de leite, eu percebi porque eu estava tão chateada com John Piper. Fiquei chateada porque meu único grande temor é que Deus odeie a Sua criação, que Ele nunca deixará de estar zangado comigo, que Ele escolheu apenas alguns para a salvação, que a menina na Índia não está entre eles, e que, talvez, eu também não estou entre eles.

Esses temores não são tão diferentes do medo que eu vejo nos olhos dos manifestantes carregando sinais que retratam o presidente Obama como Hitler, o medo que eu vejo nos rostos vermelhos de pregadores irritados exortando seus paroquianos a "levar a América de volta para Deus", o medo Eu detecto em alguns dos livros contra a igreja emergente, o medo que eu detecto em alguns dos livros em apoio à igreja emergente, o medo que eu ouço nas vozes de ambos os gays e os conservadores ativistas evangélicos que lobby contra eles quando ambos os lados consideram Por apenas um segundo a possibilidade de que talvez eles tenham errado.

Não é de admirar que Tiago escreveu que "
... a ira do homem não opera a justiça de Deus.". Tg 1:20. Não é de admirar que João escreveu que "No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; ... e o que teme não é perfeito em amor." (1Jo 4:18).

Talvez a indignação justa seja simplesmente nosso disfarce favorito para esconder nossos medos mais profundos e paralisantes. O meu tem a ver com o calvinismo e a natureza do amor de Deus. E você? Quais são as questões que o tornam o mais irado, e essa raiva corresponde a qualquer medo particular? Como eu mencionei antes, eu quero ser "perfeita no amor." Como faço para superar meus medos?



Trechos extraídos de Rachel Evans, https://rachelheldevans.com/blog/calvinismmakesmecry