sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Anabatistas nos Séculos 2 a 16 – os VALDENSES

O Dr. Floyd Jones escreve: "De acordo com Beza [1519-1605], esta Igreja [Valdense] foi formada por volta de 120 d.C. Sua Bíblia em latim (a 'Itálica' ou 'Ítala') que representa o Texto Recebido (Sírio) foi traduzida do grego no mais tardar em 157 d.C. É reconhecido que a Vulgata de Jerônimo é a 'Ítala' (a 'Antiga Versão Latina') com as leituras/(interpretações) do Texto Recebido removidas [quando desagradavam Roma e tinham apoio em alguma leitura diferente em algum manuscrito]. A liderança da Reforma Alemã, Francesa e Inglesa estava convencida de que o Texto Recebido (TR) era o Novo Testamento genuíno, "não só por causa de sua própria fascinante história e evidência interna, mas também porque ele correspondia ao Texto Recebido que, na forma Valdense, tinha vindo dos dias dos apóstolos". Ao produzir sua tradução, Lutero referiu-se aos Tepl ms que concordavam com a versão do "Antiga Versão Latina" que era anterior a Jerônimo. Esta Tepl ms representava uma tradução da Bíblia Valdense no dialeto alemão que foi falado antes da Reforma. Esta, sem dúvida, foi a razão pela qual a Igreja Romana reprovou Lutero por "seguir após os Valdenses." Além disso, os tradutores da King James Bible de 1611 tiveram diante deles quatro Bíblias que estavam sob influências Valdenses: a Dioadati em italiano, a Olivetan em francês, a Luterano em alemão e a Genebra em Inglês. Existe forte evidência de que eles também tiveram acesso a, pelo menos, seis Bíblias Valdenses escritas no vernáculo Valdense antigo". (Jones, Floyd Nolan, Qual Versão é a Bíblia?, página 168, 1999)



Traduzido e enviado por Hélio S. Ferraz, 13.1.2017.

Hélio de M. Silva acrescentou explicações dentro de colchetes []