segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Anabatista no Século 16, 1549: Elizabeth


15 de janeiro na História Batista.
Neste dia, em 1549, Elizabeth foi levada presa [simplesmente] por ser uma Anabaptista.
Foi neste dia de [15.jan.]1549 que Elizabeth foi presa como anabatista. Não sabemos seu sobrenome, mas temos registros dos detalhes de seu julgamento perante um conselho de católicos romanos.
Conselho: O que você acha da Missa?

Elizabeth: Eu não aprovo a sua Missa; mas, quanto a tudo o que concorda com a Palavra de Deus, isto eu altamente estimo.
Conselho: O que você acha do Santíssimo Sacramento?
Elizabeth: Jamais em minha vida li na Sagrada Escritura que há um santo sacramento; mas eu li que há uma Ceia do Senhor [a Bíblia jamais a chama de sacramento, portanto não o é. Só o seria se concedesse ou aumentasse ou contribuísse para a graça da salvação. A Bíblia somente a chama de "memorial", isto é, algo que serve para se fazer voltar à memória, relembrar]
Conselho: O que o Senhor [Jesus] disse quando deu a Ceia aos seus discípulos?
Elizabeth: O que Ele lhes deu, carne ou pão? [E] o Senhor não continuou sentado lá? Quem então poderia comer a carne do Senhor?
Conselho: O que você acha sobre o batismo infantil, [e] que você deveria ser batizado de novo?
Elizabeth: Não, cavalheiros; Eu não fui batizado outra vez; Fui batizada [biblicamente somente] uma vez [há pouco tempo], com base na minha confissão de fé; pois está escrito que o batismo somente pertence [pode ser dado] aos crentes.
Conselho: Você não espera a salvação como proveniente do batismo?
Elizabeth: Não, cavalheiros. Toda a água do mar não tem o poder de me salvar; mas a salvação está em Cristo.
Conselho: Os sacerdotes têm poder para perdoar pecados?
Elizabeth: Não, meus senhores. Como poderia eu acreditar nisso? Vi [na Palavra de Deus, 1Tm 2:5] que Cristo é o único Sacerdote através de Quem os pecados são perdoados.
Completamente frustrado, o Conselho ordenou a tortura de Elizabeth. Prensas de parafusos, para esmagamento, foram aplicados a seus polegares e a alguns dedos das mãos, até que o sangue jorrou de debaixo de suas unhas. Em seguida, prensas de parafusos, para esmagamento, foramaplicados em ambos os seus tornozelos, mas, além de rezar pela assistência do Senhor, ela calmamente suportou a dor.
Em total frustração o conselho pronunciou sua sentença de morte. Em 27 de março de 1549 ela foi colocada em um saco e afogada em um rio próximo. Todas as águas do mar não tinham o poder de salvá-la [em batismo], mas as águas desse rio levaram Elizabeth à presença de seu Salvador.
Baptist Martyrs: Memorials of Baptist Martyrs: With a Preliminary Historical Essay. By J. Newton Brown. Extrato das pags. 155-159. https://ia800200.us.archive.org/27/items/memorialsbaptis00browgoog/memorialsbaptis00browgoog.pdf
Hélio [Menezes] traduziu e acrescentou algumas explicações entre colchetes [].

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.